terça-feira, 24 de abril de 2018

Lula imbatível também no Piauí lidera com 65,17%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), lidera, com grande margem de vantagem , a disputa pela Presidência da República no Piauí. O eleitor ao dar essa grande margem de vantagem já sabia que o Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região tinha condenado Lula a 12 anos e um mês de prisão.

A pesquisa do Instituto Amostragem, encomendada pelo Grupo Meio Norte de Comunicação, revela que Lula tem 65,17% das intenções de voto estimuladas para a Presidência da República no Piauí.

O segundo colocado, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), tem 9,06% das intenções de estimuladas; seguido da ex-ministra Marina Silva (Rede), com 5,72%; do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 3,43%; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com 3,25%; do deputado federal Álvaro Dias (PV), com 1,32%; o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTC), com 0,88% e; Manuela D´Ávila, com 0,35%.

Os eleitores que não quiseram ou não souberam opinar somam 5,45% e os que querem votar nulo ou em branco são 5,36%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 a 30 de janeiro deste ano, registrada, com o número BR-07913/2018, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 47 municípios do Piauí.

O levantamento eleitoral foi realizados pelos seguintes municípios por microrregião: Baixo Parnaíba Piauiense (Batalha, Joaquim Pires, Esperantina, Piripiri); Litoral Piauiense (Cajueiro da Praia, Luís Correia, Parnaíba); Teresina (Teresina, Lagoa Alegre, Altos); Campo Maior (São João da Serra, Pedro II, Campo Maior, Capitão de Campos); Médio Parnaíba Piauiense (Angical do Piauí, Regeneração, Amarante); Valença do Piauí (Francinópolis, Elesbão Veloso, Valença do Piauí).

Além do Alto Parnaíba Piauiense (Uruçuí); Bertolínia (Landri Sales, Colônia do Gurguéia); Floriano (São Francisco do Piauí, Floriano, Guadalupe); Alto Médio Gurgueia (Bom Jesus, Monte Alegre do Piauí); São Raimundo Nonato (Guaribas, Canto do Buriti, São Raimundo Nonato, Pajeú do Piauí); Chapadas do Extremo Sul Piauiense (Corrente, Parnaguá); Picos (Dom Expedito Lopes, Oeiras, Picos, Geminiano); Pio IX (Alegrete do Piauí, Pio IX); Alto Médio Canindé (Santo Inácio do Piauí, Campinas do Piauí, Simões, Jaicós, São João do Piauí, Paulistana, Paes Landim).

A pesquisa do Instituto Amostragem tem uma amostragem casual, para um nível de confiança de 95% este tamanho de amostra (1.137 eleitores) permite erro de até 2,85 pontos percentuais para mais ou para menos, nas estatísticas apresentadas para o total da amostra levantada.



Lula também lidera espontânea com 46,79%

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lidera pesquisa de intenções de voto espontânea no Piauí com 46,79%. Nessa pesquisa, os entrevistadores não apresentam ou estimulam nomes de candidatos para a escolha dos eleitores. Lula vem seguido de Jair Bolsonaro, que tem 5,72% das intenções de voto espontânea, e Ciro Gomes, que tem 1,23%.

Marina Silva tem 0,88% das intenções de voto espontâneas; Geraldo Alckmin detém 0,79%; Álvaro Dias, 0,44%; Fernando Collor de Melo, 0,18%; o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), 0,09%; o presidente Michel Temer (MDB), 0,18%; o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), com 0,26% ; a ex-presidente Dilma Roussef, com 0,79%; o senador Aécio Neves (PSDB-MG), com 0,18%; o senador Cristóvam Buarque (PPS-DF), 0,18%; o deputado estadual Robert Rios (PDT), 0,09% e; o deputado federal Tiririca (PR-SP), 0,09%.

Segundo a pesquisa do Instituto Amostragem, 35% dos eleitores não souberam ou não quiseram opinar e; 7,12% dos eleitores querem votar nulo ou em branco para a Presidência.

83,67% votariam em um candidato indicado por Lula

Pesquisa do Instituto Amostragem, encomendada pelo Grupo Meio Norte de Comunicação, apontou que 83,67% dos eleitores do Piauí asseguram que sim, votariam, com certeza, em um candidato indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a Presidência da República. Contra 4,05% que declararam que não votariam em nome indicado pelo ex-presidente.

Segundo a pesquisa do Instituto Amostragem, 11,74% dos eleitores piauienses afirmaram que depende do nome do indicado por Lula para votarem nele para a Presidência da República.

0,54% dos eleitores afirmaram que não sabem ou não querem opinar sobre a transferência de votos de Lula.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, de Porto Alegre (RS), e está inelegível, mas pode recorrer da decisão aos tribunais superiores.

Indagados sobre a influência na decisão de votar em Lula para presidente da República sabendo que ele foi condenado em processo eleitoral, 45,38% dos eleitores piauienses afirmaram que são indiferentes; 30,34% declararam que atrapalha; 6,77% afirmaram que ajuda e; 9,41% declararam que não têm intenção de votar nele e 8,09% não souberam, ou não opinaram sobre a questão.

PT é o partido preferido para 37,73%, PSDB tem 5,45%

A pesquisa do Instituto Amostragem revela que o PT é, com grande vantagem, o partido de maior preferência dos eleitores piauienses.

Segundo a pesquisa, 37,73% dos eleitores piauienses declaram que o PT é o partido de sua preferência, enquanto 33,07% disseram que não têm preferência por partidos políticos.

16,97% dos eleitores não souberam ou não quiseram opinar sobre a preferência partidária.

O partido que ocupa o segundo lugar entre os preferidos pelos eleitores piauienses é o PSDB. 5,45% dos eleitores piauienses afirmaram que o PSDB é o partido de sua preferência.

O PTB tem a preferência de 1,67% dos eleitores piauienses; o PC do B, 0,09%; o PSTU, 0,26%; o PSOL, 1,23%; o PSD, 0,44%; o Progressistas, 0,35%; o PDT, 0,62%; o MDB, 1,41% e; o DEM, 0,7%.

FONTE: Bancada Brasil / Com informações do Instituto Amostragem

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Zé Dirceu: "O fio da história do Brasil não é o fio das forças da direita"

José Dirceu

Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo, publicada na Folha de S. Paulo desta sexta-feira (20), o ex-ministro José Dirceu afirma que “o país vive uma situação de insegurança e instabilidade jurídica, de violação dos direitos e garantias individuais".
"O aparato judicial policial se transformou em polícia política”, disse Dirceu ao comentar sobre as perspectivas que tem quanto as batalhas jurídicas. "Como a minha vida é o PT e o projeto que o Lula lidera, eu tenho que me preparar para continuar fazendo política. Eu não posso me render ao fato de que vou ser preso", enfatizou.

Para o ex-ministro, que também é advogado, a onda punitivista que impera nos processos penais contra lideranças políticas está alterando o ordenamento jurídico brasileiro. "Eles acabaram com a progressão penal. Você só pode ser beneficiado se reparar o dano que dizem ter causado. E como, se todos os seus bens estão bloqueados? Acabaram com o indulto. Vamos cumprir a pena toda", reforça.

Apesar disso, José Dirceu demonstra que essa perseguição não abala a sua determinação em luta r pelo país. "Não muda nada. Preso ou aqui fora, vou fazer tudo o que eu fazia: ler, estudar e fazer política.Eu tenho que cumprir a pena. Eu não posso brigar com a cadeia", destacou. O senhor conviveu com Antonio Palocci?

Sobre a perspectiva de Lula ficar preso, José Dirceu disse que "o pior para ele já aconteceu: a indignidade de ser condenado e preso injustamente".

Questionado pela jornalista se em algum momento dessas reflexões na prisão ele cogitava ter errado ou cometido de fato os crimes que foi acusado, José Dirceu reafirmou: "Eu não cometi crimes. Não há nenhuma prova, nenhum empresário ou diretor afirmando que eu pedi alguma coisa na Petrobras. O que eu errei? Na minha relação com [o lobista e delator] Milton Pascowitch. Eu comprei um imóvel, financiei, paguei a entrada. Ele reformou o imóvel. Eu não paguei. Foi um erro meu. Eu não poderia ter estabelecido essa relação. Era um empréstimo não declarado. Que virou propina. Foi uma relação indevida. Admito. Mas não criminosa".

Monica Bergamo então afirma que apesar de Lula ter seu governo aprovado por 83% dos brasileiros, os "desvios de milhões foram comprovados" e questiona: "O fato de vocês terem financiado campanhas com dinheiro de estatais e caixa dois não seria razão para um arrependimento, uma autocrítica?". 

José Dirceu é enfático: "Nós temos que denunciar o que fizeram conosco, e não foi por causa de nossos erros. O legado do Lula, o nascente estado de bem-estar social que ele consolidou, está sendo todo desmontado. Estão desfazendo a era Lula como quiseram desfazer a era Getúlio".

Para ele, o balanço histórico demonstra que "estamos do lado certo e o saldo de tudo o que fizemos é fantástico" e lembra que erros muitos já cometeram. "Eu vou dizer uma coisa para você: a Igreja Católica Apostólica Romana tem uma história de crimes contra a humanidade", frisou. "Não vou nem falar das Cruzadas ou da Inquisição. Se eu for olhar para ela, vou mandar prender todos os padres e bispos porque a pedofilia é generalizada. Ou não é? Mas é a Igreja Católica Apostólica Romana. A vida é assim. O mundo é assim".

E completa: "O PT cometeu erros? Muitos. Mas tem uma coisa: o lado do PT na história, o nosso lado, é o lado do povo, do Brasil". 

José Dirceu afirma ainda que há condições de mudar esse cenário. "Pode demorar dois, quatro, seis anos, mas temos. Você não desmonta a estrutura de bem-estar social que o país tem sem consequências. As forças políticas e sociais vão ganhando consciência. Vão surgindo novas lideranças, novos movimentos", disse.

Ele endossa a proposta de unidade das força progressistas nas eleições de 2018. "O país vai ter um longo ciclo de lutas. Mas primeiro é ganhar a eleição. No segundo turno, se as esquerdas se unirem, teremos força para isso", salientou.

Segundo ele, diferentemente de 2014, com o Lula preso, a direita se favorece com o fato de não poder viajar pelo país e fazer debate junto a população, enquanto que "o lado de lá tem a TV Globo, o aparato judicial militar e o poder econômico". "Mas está mais desorganizado e enfraquecido do que nós", frisou.

"Eu tenho confiança de que o fio da história do Brasil não é o fio das forças da direita. O fio da história do Brasil é o fio que nós representamos", concluiu. 

Fonte: Portal Vermelho, com informações da Folha

Flávio Dino desmente fake news sobre "monitoramento" de opositores

Governador Flávio Dino
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), utilizou-se das redes sociais para desmentir notícia falsa publicada no jornal O EStado de São Paulo nesta sexta-feira (20), que o acusava de ter emitido ordem aos batalhões militares do estado para monitorar seus adversários nas eleições deste ano.

Flávio Dino declarou que é um absurdo imaginar que um papel assinado por um oficial da Polícia Militar tenha tido sua orientação, tenha seu apoio apoio ou concordância. O governador explicou que ao tomar conhecimento do caso, demitiu o autor do papel disparato e que também irá apurar porque ele assinou o documento.

Quem assinou o papel, foi o tenente-coronel Émerson Farias Costa, promovido à patente em 29 de dezembro de 2014, quando já se encerrava o governo de Roseana Sarney. Na época, Ricardo Murad era o secretário de Segurança Pública no Maranhão. Coincidentemente, a fonte da matéria do Estadão é o deputado estadual, Souza Neto (PRP),  casado com  Tatiana Murad, filha de Ricardo Murad,

Flávio Dino ressaltou que o desespero do coronelismo maranhense é tão grande para voltar ao poder, que está utilizando-se de várias manobras com a ajuda da grande imprensa propagando mais esta fake news.

“Sou servidor público há 29 anos, exercendo funções nos poderes Judiário, Legislativo e Executivo. Nunca cometi uma ilegalidade. Nunca respondi a processo. Tenho biografia que me protege de armações e fraudes. A turma do mal vai perder de novo”, declarou o governador.

O atual secretário de Segurança Pública no Maranhão, Jefferson Portela, determinou a abertura imediata de apuração sobre um documento emitido sem o conhecimento e a autorização do Comando da Instituição Policial Militar.  “É um erro gravíssimo. Eu determinei a imediata exoneração dos responsáveis por essa nota. Não tem como permanecer na direção de um controle de processo eleitoral quem emite uma nota dessa”, disse.


Fonte: Portal Vermelho

Presidente do SINDEHOTEIS/MA Luíz Henrique participa de roda de debate sobre impactos da Reforma Trabalhista

Presidente do SINDEHOTEIS/MA e FETHEMAPI Luíz Henrique
fala no evento
O presidente do Sindehotéis-MA,  Luiz Henrique Pereira da Silva, esteve presente no dia 13 de abril no auditório do Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA) na Rua do Sol, Centro de São Luís, para participar de uma roda de debates e palestras sobre os impactos da reforma trabalhista (Lei nº 13.467/2017).

O evento foi uma iniciativa da Associação dos Juízes para a Democracia (AJD) e teve como objetivo mostrar os diferentes pontos de vista dos magistrados integrantes da AJD acerca dos efeitos da Lei nº 13.467/2017 (Reforma Trabalhista) para a classe trabalhadora.

Os debates/palestras foram conduzidos pelos juízes: Laura Rodrigues Benda (juíza do trabalho e presidente da AJD); Daniela Muller (juíza do trabalho do TRT-1); Mário Sérgio Pinheiro (Desembargador do TRT-1); e Marcelo Semer (juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo).

Estiveram presentes empresários, estudantes, trabalhadores e lideranças sindicais.
Fonte: Ascom/SINDEHOTEIS/MA

SINPROESEMMA vai pra cima de adversários políticos que querem retirar reajuste de 6,81% dos contra cheques dos trabalhadores


Fonte: ASCOM - SIPROESEMMA

quarta-feira, 18 de abril de 2018

SINPROESEMMA questiona adversários políticos que agem contra educadores na conquista do reajuste

Raimundo Oliveira e Henrique Gomes
defendem na Assembléia direitos dos trabalhadores ao lado dos Deputados Othelino, Antônio Pereira e Marco Aurélio

Diante de inverdades veiculadas por um grupo de professores e de deputados estaduais que estão contra os educadores do Maranhão, questionando a vitória do reajuste do piso, já alcançada pelos professores, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) reuniu com membros da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (17), para dialogar sobre a Medida Provisória 272/2018, que trata, exclusivamente, sobre a concessão do reajuste e está sob avaliação da comissão parlamentar.
O reajuste salarial foi concedido, integralmente (6,81%) e sobre os vencimentos dos professores, com base no Estatuto do Educador e em portaria federal, que estabeleceu o índice nacional para os educadores de todo o Brasil. Depois de duas reuniões de debate com o Governo do Estado, o pleito do reajuste foi atendido e anunciado pelo governador Flávio Dino, no final de fevereiro deste ano. Para atender ao anseio da categoria, que exigia o imediato cumprimento do reajuste do piso, o Governo do Estado já concedeu a recomposição.
QUESTIONAMENTOS
“Não conseguimos entender porque um grupo que faz oposição ao Sinproesemma não quer o reajuste do piso, que é uma conquista dos educadores. Será que eles querem anular o nosso reajuste? Será que esse grupo quer tirar dos nossos contracheques um reajuste já implantado? Por que somente agora esse grupo e esses deputados contrários à nossa conquista se manifestaram? Será oportunismo eleitoral? Por que quando estávamos na mesa de negociação com o governo, cobrando o reajuste nacional de 6,81%, eles não se dispuseram a nos ajudar?”, questiona o presidente do Sinproesemma, Raimundo Oliveira.
REFLEXÃO
Ele conclama a categoria a fazer uma reflexão sobre esse posicionamento do grupo de opositores políticos. “São questões que a categoria deve levantar para entender o que está por trás desse ato dos opositores em tentar tirar o nosso reajuste”, afirma o sindicalista.
Para Oliveira, esse movimento de combate à vitória do reajuste tem motivação puramente política: “Esse grupelho de professores tem lado político, assim como esses deputados também, e são aliados da velha oligarquia que até há pouco tempo dominava esse estado. Mas o Sinproesemma não permitirá que a nossa pauta de lutas e as nossas vitórias conquistadas sirvam de trampolim político para os oportunistas de plantão”.
REUNIÃO
Na reunião com os deputados da CCJ e com o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PC do B), os diretores do Sinproesemma destacaram que a conquista do reajuste foi uma reinvindicação da categoria que cobrava, com urgência, a recomposição do piso e que fosse aplicada sobre os vencimentos e integralmente o índice nacional de 6,81% estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC).
A Medida Provisória do Governo do Estado, que trata somente do reajuste, já começou a ser analisada, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Assembleia Legislativa (CCJ). “É uma medida bastante positiva para os professores, reafirmando a política educacional que é de priorizar e valorizar os professores”, destacou o deputado Rogério Cafeteira (DEM), membro da CCJ.
“Tudo que está na Medida foi reivindicado pela categoria: o reajuste integral de 6,81% e sobre os vencimentos. O governador acatou a reivindicação, o que gerou a Medida Provisória 272”, disse o secretário de Assuntos Jurídicos do Sinproesemma, Henrique Gomes.
“Tivemos a recomposição salarial, de acordo com a Lei do Piso, a partir de janeiro de 2018, para todos os cargos, Professor I, II e III (referência A-1). Os demais cargos foram corrigidos pelo interstício entre as referências, de acordo com o artigo 32 do nosso Estatuto do Educador. Foi uma vitória da nossa luta e ninguém pode tirar isso da categoria”, concluiu Oliveira.
A reunião também contou com participação de outros membros da Comissão de Constituição e Justiça: o relator da CCJ, deputado Antônio Pereira (DEM), e o vice-presidente da Comissão, deputado Marco Aurélio (PC do B).
Fonte: ASCOM - SINPROESEMMA

Flávio Dino repudia "baixarias do império midiático" no Maranhão


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), utilizou-se das redes sociais para repudiar e denunciar as calúnias perpetradas pelos meios de comunicação do estado que, comandados pela família Sarney, o perseguem com o intuito de difama-lo e desqualificar sua administração desenvolvimento.

Flávio Dino considerou inadmissível que o poderio midiático possa utilizar reportagens falaciosas e manipuladas. “O último resquício do coronelismo que infelicitou o Maranhão é um império midiático que vive de politicagem e baixarias. Uma coisa vergonhosa. Reportagens e fotos fraudadas, mentiras, “cartas” inventadas”, explicou em postagens em suas páginas nas redes sociais.

O governador também prestou solidariedade ao secretário estadual de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, que também está sendo vítima dos ataques orquestrados pelo oligarquia em declínio. “Minha solidariedade ao secretário Carlos Lula. Todos sabem que é um jurista sério, honrado, dedicado. Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço”.

Sem cobertura da mídia no Maranhão, Flávio Dino presta contas de sua gestão nas redes sociais. “Na medida em que a mídia é fortemente parcial, oposicionista, sabota o governo, distorce, agride de cinco da manhã à meia noite, a rede social acaba sendo um instrumento para veicular um contra-discurso”, disse.

Gestão transparente e igualitária 

Flávio Dino é conhecido pela gestão transparente e justa que vem fazendo no estado. Dentre todas as ações destaca-se os resultados na área da Saúde e Educação. A aposta no social rendeu bons resultados e hoje os professores maranhenses recebem um salário cuja base é um piso salarial de R$ 5.524,00, mais do que o dobro do valor nacional. “Nós fizemos uma opção de acreditar nos investimentos públicos apesar da crise”, afirma Dino.

Levantamento recente apontou Flávio Dino como o gestor que mais cumpriu promessas nos três anos de gestão. Além disso, Dino está disparado na frente das pesquisas de intenção de voto contra sua principal adversária, Roseana Sarney (MDB), filha de José Sarney.

Segundo estudo do Itaú-Unibanco divulgado pela Folha de S. Paulo, Dino conseguiu driblar a crise econômica e fez a economia do Maranhão crescer, no ano passado, 9,7%. Além disso, o estado é o quarto colocado em atração de investimentos.

A primeira pesquisa eleitoral de 2018 para o governo do Maranhão, divulgada pela TV Difusora de São Luís, no dia 15 de fevereiro, mostra que Flávio Dino tem mais que o dobro das intenções de voto de sua concorrente, Roseana Sarney. Ele aparece com 62,39% dos votos válidos, contra 29,15% da ex-governadora.

Mesmo com todos esses bons resultados do governo Flávio Dino, a maioria dos meios de comunicação do Maranhão insiste em criar factoides sobre o governo, com a tentativa de difamar o governo estadual.
 Fonte: Portal PCdoB